Logo9Evento_3 short
Marisa Mestre_Confirmada


Sobre

Desde 2009 iniciei a formação na área das Terapêuticas Não Convencionais e ao longo dos anos tenho vindo a especializar-me na área da Nutrição Ayurveda e em Panchakarma (Programa de Desintoxicação). Abaixo descrevo sucintamente as minhas principais formações:

  • (2021) Formação de E-Formador e Moodle;
  • (2019) Curso de Gestão de Formação Profissional;
  • (2019) Especialização em Produtos Fitoterápicos pela Mahatma Gandhi Ayurveda College Hospital and Research Center, Wardha, Índia; 
  • (2018) Panchakarma Advance pela International Academy of Ayurveda, Pune, Índia;
  • (2016) Varmam pelo Agathiyar Hospital & Research Institute of Chennai, Índia;
  • (2016) Licenciada em Nutrição Humana e Qualidade Alimentar pela Escola Superior Agrária de Santarém (ESAS);
  • (2015) Erasmus em Nutrição na Faculdade de Medicina, Universidade Complutense de Madrid;
  • (2014) Formador reconhecido pela Associação Portuguesa de Medicina Ayurveda;
  • (2012) Formada em Terapeuta de Medicina Ayurveda pela Escola Yoga Brahma Vidyalaya, Suddha Dharma Mandalam, Dr. José Ruguê Ribeiro Júnior e reconhecido pela AMAYUR;
  • (2012) Certificado de Competências Pedagógicas (CCP), CCP Nº F595188/2012;
  • (2011) Estágio Profissional no Suddha Sabha Ashram, certificado pela Escola Yoga Brahma Vidyalaya.

Palestra: Aprender a Envelhecer com Ayurveda (Geriatria Ayurvédica)

06 de Março, 16h45

O envelhecimento é a coisa mais certa que temos na vida, e o Ayurveda, sendo considerado a medicina da longevidade, tem a receita certa para envelhecermos bem e com qualidade. 

Saber envelhecer é tão importante como saber uma profissão. Segundo Dalai Lama “Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, e depois perdem o dinheiro para recuperá-la. Por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente de tal forma que acabam por nem viver nem no presente nem no futuro. Vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se nunca tivessem vivido.“.

Eu acredito que uma grande maioria de vós vive assim. 

E se pudessem mudar este paradigma, arriscariam tal mudança?